Baleia franca é encontrada morta em Laguna
Matéria via DS / Postado dia 10-08-2018

Um filhote de baleia franca, nascido nesta temporada, foi encontrado encalhado e sem vida na Praia do Gi, em Laguna, na noite de quarta-feira.  Ontem, representantes de entidades ambientais estiveram no local para avaliar a situação e dar início ao protocolo de encalhes. 

A necropsia, para tentar identificar a causa da morte, foi feita na praia, e o esqueleto foi levado para a Universidade Estadual de Santa Catarina (Udesc). Segundo o professor Pedro Castilho, o animal media 6,35m de comprimento e tinha um machucado na pele, cujas características ainda estão sendo analisadas. 

De acordo com Karina Groch, diretora de pesquisa do Instituto Atlantis/Projeto Baleia Franca, este é o segundo filhote de baleia franca encalhado nesta temporada. O primeiro encalhamento ocorreu no último domingo, na Praia da Armação, em Florianópolis. Nesse caso, o animal foi encontrado vivo, e devolvido ao mar. 

O Protocolo de Encalhes da APA da Baleia Franca é um programa desenvolvido pela equipe da Unidade de Conservação Federal. Essa equipe presta assistência aos mamíferos marinhos encalhados na unidade, estabelecendo diretrizes entre as instituições para o desenvolvimento de ações coordenadas para o atendimento destes casos.

A coordenação do Protocolo de Encalhes na Unidade é formada pela APA da Baleia Franca/ICMBio; Instituto Australis/Projeto Baleia Franca; Associação R3 Animal; Universidade do Estado de Santa Catarina/Udesc/Ceres; Museu de Zoologia Professora Morgana Cirimbelli Gaidzinski, da Unesc; Corpo de Bombeiros; Capitania dos Portos; e Polícia Militar Ambiental.


Como lidar ao encontrar um animal encalhado

Quem avistar um animal encalhado na região ou qualquer movimentação de baleias deve procurar imediatamente os órgãos ambientais. A Polícia Ambiental de Laguna atende pelo telefone (48) 3647-7880. O contato da APA da Baleia Franca é: (48) 3255-6710. 

Em casos de encalhes de animais mortos, o correto é informar o local e repassar outras informações úteis pelos telefones acima. Também se deve evitar a aproximação com o animal, sob risco de contaminação biológica. 

Em caso de animais vivos, os órgãos ambientais pedem para que a pessoa não tente devolvê-los para a água, pois pode ser perigoso. Como esses animais são grandes e estão em situação de debilidade física, eles podem ficar mais ariscos com a aproximação de outros indivíduos e, assim, causar ferimentos.

Se puder, fotografe o bicho, de longe, possibilitando a identificação da espécie e a documentação do caso.



Veja Também
Florianópolis Justiça decreta prisão de mulher suspeita de matar marido coronel da PM
Família de brasileiros mortos no Chile pretende fazer velório coletivo em SC
Previsão Tempo fica instável com aberturas de sol e nuvens nesta sexta-feira em SC
Reta final do Estadual serve de inspiração para time