Atletismo: atleta da região chega à final Sub-20
Matéria via DS / Postado dia 11-07-2018

Tem atleta da região na final do Mundial Sub-20 de Atletismo, que acontece em Tampere, na Finlândia. A criciumense Valquiria Aparecida Meurer, que já representou Braço do Norte e São Ludgero em competições, conseguiu se classificar no lançamento de disco. 

A competição aconteceu ontem. Valquiria ficou em nono na classificação geral do lançamento do disco com 50,92m, garantindo a vaga na disputa pelo pódio. A final será amanhã, às 13h35. A atleta da região faz parte da equipe brasileira que disputa o Mundial. São 11 esportistas representando o país. Ontem, seis deles competiram. Quatro conseguiram a classificação, e dois caíram na qualificatória.

Nos 400 metros rasos, Giovana Rosalia dos Santos e Tiffani Beatriz Marinho avançaram, e Fabielle Samira Ferreira passou de fase no lançamento de dardo. Isabel Demarco Quadros, do salto com vara, e Weslley Bevilaqua Beraldo, do salto em distância, foram eliminados.

No Brasil, Valquiria integra a equipe paulista do São Bernado/Iema. Ela foi qualificada para o Mundial Sub-20 após vitória no Campeonato Paulista de Atletismo no início de junho, em São Bernardo do Campo. A atleta já havia obtido o índice ao conquistar o ouro no Brasileiro Sub-23 de Porto Alegre, no final de abril. 

Ainda no Mundial, três modalidades já tiveram os campeões definidos, sendo dois do Quênia. Beatrice Chebet venceu os 5000m em 15m30s77, e Rhonex Kipruto subiu no lugar mais alto do pódio nos 10.000m. O sul-africano Kyle Blignaut levou o ouro no arremesso de peso com 22m07.


Do Sul de Santa Catarina para o mundo

Valquíria completa 19 anos em agosto. Ela, que nasceu em Criciúma, mantém suas raízes aqui na Amurel. “Vivi parte de minha infância em São Ludgero. Depois morei em Braço do Norte, onde meus pais vivem hoje, no Rio Amélia. Pra chegar até o Mundial de Atletismo, contei com o apoio da família e dos amigos aí do Sul”, conta a atleta, direto da Finlândia.

Atualmente morando em São Paulo, ela precisou se acostumar com as diferenças que surgiram com a mudança para uma cidade grande. “Passei por um período de adaptação, demorei um ano para conseguir me adaptar à correria de São Paulo”, explica. 

Agora, a expectativa é pela final do Mundial Sub-20 de Atletismo. A prova dela será nesta quinta-feira. “Quero melhorar minha marca para voltar com uma boa bagagem deste Mundial. A prova está bem forte, porém estou confiante. Quero representar muito bem o Brasil, todos que torcem por mim e que estão comigo neste Mundial, mandando boas vibrações e mensagens de apoio”.



Veja Também
Na estreia, Peixe vai reencontrar Waguinho Dias
Evento une idosos de Pescaria Brava
Idosa deixa imóvel e precisa de apoio
Bebê agredida segue em estado grave

A bebê de dois meses que teria sido agredida pelo paicontinua na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital Nossa Senhora da Conceição (HNSC), em Tubarão. 

A menina de Capivari de Baixo passou por cirurgia e, até o fechamento desta edição, seu estado de saúde era considerado grave. O caso aconteceu na terça-feira e foi trazido com exclusividade pelo DS. 

A criança chegou à unidade junto com os pais. Após atendimento, os médicos atestaram que ela tinha afundamento de crânio e hematomas. A polícia e o conselho tutelar foram acionados, pois a desconfiança era que ela tivesse sido agredida. 

Com isso, os pais foram detidos. Após conversa com o delegado responsável pelo caso, Vandilson Moreira da Silva, o homem de 25 anos, pai da criança, foi acusado pela mãe de ser o responsável pelas agressões. Ele alegava que a criança não era filha biológica dele, pois o casal é negro e a criança, branca. 

O pai, suspeito de agredir a bebê, foi preso e segue recluso no Presídio Regional de Tubarão. Já a mãe, foi ouvida e liberada. Ela será investigada por omissão. À polícia, ela afirmou que era ameaçada e agredida pelo marido e que, por isso, não havia o denunciado antes. Esta seria a terceira vez que a bebê foi hospitalizada. Na primeira vez, estava com costelas quebradas. Nos casos anteriores, a família alegava acidentes domésticos.

A Polícia Civil ainda aguarda um laudo pericial para confirmar as agressões. O pai deve responder por maus-tratos e tentativa de homicídio. A polícia teve deferimento da Justiça para o pedido de prisão preventiva.