Ginásio Salgadão: obras começam este mês
Matéria via DS / Postado dia 11-07-2018

Fechado desde o vendaval de 2016, o ginásio Salgadão, no bairro Oficinas, segue interditado pela prefeitura de Tubarão. A reforma do prédio estava prevista para iniciar no primeiro semestre deste ano, o que não ocorreu. Segundo a secretaria de Gestão do município, a expectativa é de que as obras comecem ainda no mês de julho.

“Houve um atraso em relação ao previsto inicialmente, que era começar a reforma no primeiro semestre, porque o projeto demorou um pouco mais para ser concluído”, diz Allan Miranda, da secretaria de Gestão da prefeitura.

De acordo com ele, o projeto para reformar o prédio já está pronto e a abertura de licitação para a escolha da empresa responsável pela obra deve ocorrer nos próximos dias. “Muito provavelmente, em no máximo 15 dias será dada a ordem de serviço para começar a obra”, aponta.

O custo da recuperação do ginásio Salgadão será de aproximadamente R$ 150 mil, incluindo a reforma da quadra, com a troca dos pisos, do telhado e de toda a parte elétrica e hidráulica do prédio, além da pintura da parte externa.

Em abril deste ano, reportagem do DS mostrou que o local estava em estado de abandono, com a porta dos fundos arrombada e sendo utilizado por usuários de drogas. Como resultado disso, boa parte da fiação foi roubada, o que obrigou a prefeitura a refazer o projeto da reforma. No entanto, segundo Allan Miranda, este problema foi resolvido, e o prédio tem sido monitorado para não sofrer mais invasões.

O Salgadão está interditado desde o vendaval de outubro de 2016, quando o piso da quadra ficou comprometido, deixando o local sem condições de uso. Ao longo de 2017, a Fundação Municipal de Esportes manteve o local fechado, alegando falta de recursos para uma reforma completa.



Veja Também
Na estreia, Peixe vai reencontrar Waguinho Dias
Evento une idosos de Pescaria Brava
Idosa deixa imóvel e precisa de apoio
Bebê agredida segue em estado grave

A bebê de dois meses que teria sido agredida pelo paicontinua na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital Nossa Senhora da Conceição (HNSC), em Tubarão. 

A menina de Capivari de Baixo passou por cirurgia e, até o fechamento desta edição, seu estado de saúde era considerado grave. O caso aconteceu na terça-feira e foi trazido com exclusividade pelo DS. 

A criança chegou à unidade junto com os pais. Após atendimento, os médicos atestaram que ela tinha afundamento de crânio e hematomas. A polícia e o conselho tutelar foram acionados, pois a desconfiança era que ela tivesse sido agredida. 

Com isso, os pais foram detidos. Após conversa com o delegado responsável pelo caso, Vandilson Moreira da Silva, o homem de 25 anos, pai da criança, foi acusado pela mãe de ser o responsável pelas agressões. Ele alegava que a criança não era filha biológica dele, pois o casal é negro e a criança, branca. 

O pai, suspeito de agredir a bebê, foi preso e segue recluso no Presídio Regional de Tubarão. Já a mãe, foi ouvida e liberada. Ela será investigada por omissão. À polícia, ela afirmou que era ameaçada e agredida pelo marido e que, por isso, não havia o denunciado antes. Esta seria a terceira vez que a bebê foi hospitalizada. Na primeira vez, estava com costelas quebradas. Nos casos anteriores, a família alegava acidentes domésticos.

A Polícia Civil ainda aguarda um laudo pericial para confirmar as agressões. O pai deve responder por maus-tratos e tentativa de homicídio. A polícia teve deferimento da Justiça para o pedido de prisão preventiva.