Aluna da Unisul conquista prêmio
Matéria via DS / Postado dia 10-07-2018

A estudante de Jornalismo da Unisul de Tubarão Milena Flor Tomé conquistou o primeiro lugar no Prêmio Talento Universitário, na categoria “documentário/reportagem”. O concurso é promovido por alunos de Publicidade e Propaganda da Furb, de Blumenau. Com a reportagem “Desocupação do Novo Horizonte”, a aluna superou os outros 600 trabalhos que foram enviados à premiação. 

“É muito gratificante você ganhar um prêmio por algo que ama fazer. E querendo ou não, isso é um motivo a mais para continuar na profissão e fazer cada vez melhor”, conta a aluna. O vídeo ganhador da categoria foi produzido durante a aula de Jornalismo e Linguagem Televisiva, ministrada pela professora Denise de Medeiros.

 “Fiquei muito feliz com esse prêmio. Especificamente, porque a reportagem da Milena é sobre um tema social. E esta é uma das funções do jornalismo: informar pra transformar realidades às vezes não tão justas”, comenta a professora.

Para o coordenador do curso de Comunicação Social da Unisul de Tubarão, Mário Abel Bressan Júnior, a conquista do primeiro lugar é o resultado do esforço da estudante. “Temos ótimos trabalhos, ótimos talentos e bons produtos para serem mostrados. Quando o aluno se esforça, cria coragem e faz de tudo para concorrer, e a vitória é uma recompensa muito grande”, afirma.


Jovem traz um novo olhar sobre o jornalismo

O vídeo retrata a desintegração de posse da comunidade Novo Horizonte, de Laguna. A estudante acompanhou a situação, entrevistou os moradores e viu de perto a situação das pessoas que viviam naquele local. “O prêmio é consequência de um trabalho bem feito. Creio que a importância está no fato de a minha reportagem ter dado voz às pessoas e elas serem escutadas por tantas outras. Eu não sou a protagonista, retrato a realidade”, relata. A estudante também complementa que, aos poucos, a realidade pode ser modificada. “Não vamos mudar o mundo, mas podemos, sim, fazer a diferença, dando voz a quem antes não tinha”, fala a estudante.  

Mesmo ainda sendo estudante, Milena e seus colegas de faculdade fundaram o Jornal Convicção. Com conteúdo on-line, o projeto iniciou sendo um portal de notícias da universidade. Mas a iniciativa aumentou e os alunos passaram a dar atenção para alguns problemas que talvez não tivessem tanto destaque em grandes mídias. “O Jornal Convicção tem um caráter social, e isso se aflora quando nossas reportagens são prestações de serviços para a comunidade, diferente de outros meios da região. E isso acontece de maneira natural, porque seguimos com o nosso objetivo real de informar”, esclarece.



Veja Também
Na estreia, Peixe vai reencontrar Waguinho Dias
Evento une idosos de Pescaria Brava
Idosa deixa imóvel e precisa de apoio
Bebê agredida segue em estado grave

A bebê de dois meses que teria sido agredida pelo paicontinua na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital Nossa Senhora da Conceição (HNSC), em Tubarão. 

A menina de Capivari de Baixo passou por cirurgia e, até o fechamento desta edição, seu estado de saúde era considerado grave. O caso aconteceu na terça-feira e foi trazido com exclusividade pelo DS. 

A criança chegou à unidade junto com os pais. Após atendimento, os médicos atestaram que ela tinha afundamento de crânio e hematomas. A polícia e o conselho tutelar foram acionados, pois a desconfiança era que ela tivesse sido agredida. 

Com isso, os pais foram detidos. Após conversa com o delegado responsável pelo caso, Vandilson Moreira da Silva, o homem de 25 anos, pai da criança, foi acusado pela mãe de ser o responsável pelas agressões. Ele alegava que a criança não era filha biológica dele, pois o casal é negro e a criança, branca. 

O pai, suspeito de agredir a bebê, foi preso e segue recluso no Presídio Regional de Tubarão. Já a mãe, foi ouvida e liberada. Ela será investigada por omissão. À polícia, ela afirmou que era ameaçada e agredida pelo marido e que, por isso, não havia o denunciado antes. Esta seria a terceira vez que a bebê foi hospitalizada. Na primeira vez, estava com costelas quebradas. Nos casos anteriores, a família alegava acidentes domésticos.

A Polícia Civil ainda aguarda um laudo pericial para confirmar as agressões. O pai deve responder por maus-tratos e tentativa de homicídio. A polícia teve deferimento da Justiça para o pedido de prisão preventiva.