Morre em Itajaí o ex-governador Antônio Carlos Konder Reis
Matéria via DC / Postado dia 13-06-2018

O ex-governador Antonio Carlos Konder Reis morreu no final da manhã desta terça-feira no Hospital Marieta Konder Bornhausen, em Itajaí, aos 93 anos. Konder Reis será velado na Câmara de Vereadores de Itajaí, ainda sem horário definido, e o enterro ocorrerá no jazigo das famílias Konder e Bornhausen, no Cemitério da Fazenda.

O historiador Edison Dávilla, que era próximo do ex-governador, diz que ele estava acamado há pelo menos dois anos e vinha sofrendo um processo de enfraquecimento. Já não se movimentava ou falava, e se alimentava através de uma sonda.

Konder Reis passou o último mês internado, e no domingo foi liberado para voltar para a casa onde vivia, na Praia da Armação, em Penha. Mas teve uma piora em seu estado de saúde, e foi levado novamente ao hospital na segunda-feira.

Membro de uma linhagem de políticos itajaienses, o ex-governador era solteiro e não tinha filhos.

Antônio Carlos Konder Reis

Antonio Carlos Konder Reis foi um dos mais importantes nomes da política catarinense no século 20. Nasceu em Itajaí, em dezembro de 1924, e ingressou jovem na vida pública. Foi deputado estadual e federal, senador e governador por duas vezes, entre 1975 e 1979, e em 1995.

O ex-governador foi líder estudantil e um dos fundadores da União Democrática Nacional (UDN). Mais tarde, ingressaria na Aliança Renovadora Nacional (Arena). Durante a vida pública, passou pelo PDS e pelo PFL.

_ Foi um monge da vida pública _ disse nesta terça-feira Paulo Bornhausen. Seu pai, Jorge Bornhausen, era primo de Antônio Carlos Konder Reis.

 



Veja Também
Debutantes: dez meninas realizam um sonho
Jean retorna ao Peixe após empréstimo
Leão recebe o Flu e busca a terceira vitória seguida
Incêndio atinge empresa de Orleans

Um incêndio em uma empresa de Orleans mobilizou bombeiros da região. O fogo teve início na manhã de ontem. Inicialmente, diversas guarnições foram acionadas, pois o incêndio seria de grandes proporções. Então, se deslocaram a Orleans apoios de Tubarão, Urussanga, Braço do Norte e Criciúma.

O fogo não chegou a se espalhar como o previsto, e por isso não foi necessário o uso de todo o apoio. Dois caminhões-pipa da própria empresa foram usados para que o fogo não se alastrasse. Conforme informações, as chamas iniciaram no setor de pintura e passaram pelo exaustor, que dá vasão ao cheiro. 

O incêndio começou por volta das 11h, e não houve feridos. Apenas uma parte do telhado do galpão e o próprio exaustor foram danificados. O fogo teria iniciado, conforme os bombeiros, no momento em que o eletricista realizava a retirada da fiação do exaustor. O galpão possui uma área de aproximadamente 792 metros quadrados, e somente 1% foi queimado.