MPSC move nove ações contra o Estado
Matéria via Diário do Sul / Postado dia 13-03-2018

Nove ações civis públicas e uma de inconstitucionalidade foram movidas pelo Ministério Público de Santa Catarina contra o governo do Estado. As medidas são resultado de meses de trabalho de uma força-tarefa formada por cinco promotores e coordenada pelo procurador-geral Sandro Neis.

O pacote de ações tem o objetivo de garantir a continuidade dos serviços, disse o promotor de Justiça Thiago Carriço.

Para a Saúde dos municípios, o Estado está deixando de dar dinheiro desde maio do ano passado. Há um atraso de três anos, uma dívida de R$ 172 milhões. O Estado tem participação em serviços importantes, de responsabilidade das prefeituras.

Deveria contribuir com os 18 Centros de Atendimento Psicossocial (R$ 965 mil), 49 Centros de Odontologia (R$ 2 milhões), 274 Núcleos de Apoio à Saude da Família (R$ 6,4 milhões), Estratégia de Saúde da Família (R$ 74,8 milhões), Assistência Farmacêutica (R$ 18,5 milhões), Atendimento aos presos (R$ 492 mil) e também o “0,30”: o incentivo de R$ 0,30 por habitante, para que os pacientes tenham acesso a alguns serviços de média e alta complexidade, totalizando R$ 69 milhões.

A lei exige a participação do Estado e de um grupo, a comissão intergestora bipartite, com seis representantes do governo e seis dos municípios, que definem quanto e onde investir. São decisões e, como tal, têm que ser cumpridas.

“Muitos serviços foram suspensos e o fornecimento de muitos medicamentos e instrumentos também foram prejudicados”, disse Thiago.

A aposentada Alice Oliveira Schaeffer, de Joinville, no Norte catarinense, sabe bem dos 
prejuízos nos serviços. São seis comprimidos por dia para hipertensão pulmonar. “Quando eu vou, às vezes tem, às vezes não tem. Às vezes eles dizem que não tem previsão”, disse.

Além das medidas para garantir mais dinheiro aos municípios, o Ministério Público de Santa Catarina também ajuizou outra ação, pedindo que o governo repasse o mínimo para a Saúde do Estado, mês a mês, e não só no fim do ano, como tem acontecido.



Veja Também
Vasco demite Jorginho após apenas dez partidas
Hercílio Luz terá escolinha de futebol em Capivari

Com a intenção de fortalecer as categorias de base no ano do centenário, o Hercílio Luz oficializou ontem sua primeira escolinha de futebol fora de Tubarão. Ela ficará em Capivari de Baixo, e faz parte de um projeto que pretende levar escolinhas a todas as cidades da região.

O Núcleo Capivari de Baixo, como é chamado pelo clube, funcionará junto da Kapiva Soccer. A empresa é de propriedade da família Stang, e já tem uma escolinha para meninos com idade entre seis e 14 anos em funcionamento há quatro anos. A coordenação e administração são feitas por Ricardo e Lucas Stang.

Com a parceria com o clube de Tubarão, a intenção é que os meninos tenham uma oportunidade a mais, passando a integrar, depois, o time Sub-15 do Hercílio Luz.

De acordo com a diretoria, o projeto é o primeiro passo para o novo ciclo do Hercílio Luz, que quer investir forte nas bases e tornar o clube e a região uma referência na formação de atletas. O treinador do time será o professor Muriel Foizer. 

Para marcar a oficialização da Escolinha Hercílio Luz FC - Núcleo Capivari de Baixo, um jogo amistoso será realizado no dia 18 de agosto, às 11h. Ainda neste ano, a meta é abrir outros núcleos na Amurel. Neste primeiro momento, Pescaria Brava, Gravatal e Laguna são possibilidades.

Criada a semana de humanização do parto
Tubarão Futsal joga hoje com o Concordia