Mulher irá responder por cárcere privado
Matéria via Diário do Sul / Postado dia 13-03-2018

Uma mulher de 66 anos acusada de manter o companheiro trancado em casa há pelo menos dois meses, em Tubarão, deverá responder por cárcere privado. O caso foi flagrado no domingo, por um dos filhos da vítima de 78 anos. O casal morava no bairro Morrotes e o idoso de 78 anos foi liberado depois que a Polícia Militar (PM) esteve no local. Segundo a polícia, há dias o filho tentava contato com o pai, mas a mulher impedia. 

Quando a PM chegou, conforme boletim policial, conseguiu falar com o idoso pela janela, pois a porta estava trancada. Ao ser resgatado, ele disse que não se alimentava direito, a não ser quando o vizinho alcançava algo pela janela, e que a companheira não o deixava sair nem para buscar a aposentadoria. Ele prestou depoimento e foi para Laguna, viver com um dos filhos.

Na delegacia, a mulher demonstrou confusão ao relatar os fatos, o que chamou a atenção da delegada Jucinês Dilcinéia Ferreira, que atendeu ao caso e instaurou o inquérito policial. Na casa, os policiais encontraram uma bolsa com mais de R$ 6,4 mil, dinheiro que a acusada mantinha ao ter acesso ao benefício do idoso. Dentro de casa  foi encontrada também uma grande quantidade de lixo espalhado pelos cômodos, e foi constatado que o idoso vivia em condições precárias.

Na delegacia, segundo a delegada, a mulher foi ouvida, mas não foi lavrado o flagrante. “Não havia como encaminhá-la ao presídio, pois apresentava problemas psíquicos. Assim, o inquérito foi instaurado e ela vai responder por cárcere privado”, informa a delegada, que também optou por solicitar uma avaliação psicológica da mulher.

Segundo Jucinês, apurou-se que ambos tinham uma relação conturbada e a mulher se apresentou agressiva. O caso agora está sob os cuidados da Delegacia de Proteção à Criança, Adolescente, Mulher e Idoso  (Dpcami) de Tubarão.



Veja Também
Arma é apreendida dentro de veículo após abordagem em festa
Karateca tubaronense disputa Sul-Americano

Ontem, Nícolas de Souza viajou mais uma vez para defender as cores do país em uma competição internacional. O jovem karateca disputa pelo terceiro ano consecutivo o Sul-Americano da modalidade com a Seleção Brasileira, e acumula ótimos desempenhos, além de experiências muito importantes.

Aos 12 anos, Nícolas garantiu a vaga com a idade mínima para fazer parte da seleção e ainda comemorou o título de campeão. Aos 13, mais uma vez representando o Brasil na competição, foi o vice-campeão de sua categoria. Agora, com 14, segue mais uma vez em busca do pódio.

“É com muito orgulho que tenho a honra de poder representar meu país em mais um evento internacional. Estou muito feliz, pois é o meu terceiro ano consecutivo na Seleção Brasileira. Treinei muito e estou preparado para fazer o meu melhor”, revela.

“Aproveito para agradecer o apoio e a torcida de todos que estão sempre comigo. Sem a participação de todos os envolvidos, isso não seria possível”, ressalta Nícolas.

O Sul-Americano ocorre de hoje até domingo, em Guayaquil, no Equador, e reúne atletas nas disputas das categorias Sub-14, Cadete, Júnior, Sub-21 e Sênior. “As expectativas para este campeonato são boas, porém disputo uma categoria diferente e pode ter sempre surpresas. No entanto, darei meu máximo para representar bem meu país em mais um campeonato deste nível”, finaliza Nícolas.

Mulher precisa de ajuda para tratamento de câncer

A dona de casa Mércia Carvalho, de Gravatal, está precisando de ajuda. Com câncer no fígado e sem condições financeiras para arcar com o tratamento, ela precisa da colaboração de todos para continuar vivendo. O marido, Genésio, precisou parar de trabalhar para ajudar a esposa em seu tratamento.

Uma rede de solidariedade se formou nas redes sociais para tentar minimizar a dor de Mércia e sua família. O marido está afastado do trabalho há 14 meses, em busca da cura para sua esposa, e para ajudá-la em tudo o que precisa, já que a doença está em um estágio avançado. 

Mércia precisa tomar vitaminas e medicamentos importados contra o câncer, e não possui condições financeiras. Amigos da família contam que ela já ficou dois meses sem tomar os medicamentos, por não ter como arcar com estes custos. 

Quem desejar ajudar, pode fazer um depósito de qualquer valor. Os dados para depósito são: Banco do Brasil, agência 2089-3, conta 14048-1, em nome de Genésio Carvalho. Para entrar em contato, o telefone de Genésio é (48) 99697-8562.

Cursos gratuitos levam cultura a Tubarão