Sem obras, estrada que dá acesso à Serra do Corvo Branco está comprometida
Matéria via Fotos NSC TV / Postado dia 12-02-2018

 

A estrada que dá acesso a um dos locais mais belos do estado, a Serra do Corvo Branco, está comprometida por causa dos buracos e obstáculos. Melhorias no local começaram em 2014, mas pararam em 2015 por problemas no projeto. O consórcio que venceu a licitação de R$ 36 milhões abandonou os trabalhos, que nunca foram retomados.

Foto: Reprodução / NSC TV

O problema está nos 9,7 quilômetros em Urubici. Desde que as obras pararam os buracos aumentaram, as barreiras caíram e a Serra do Corvo Branco foi ficando cada vez mais perigosa. O trajeto nas curvas sinuosas fica ainda mais perigoso. “Transtorno, né. Caminhão estraga caminhão, há risco de acidente. Sempre agora que a safra é aqui em cima, sempre esse transtorno”, disse Eduardo Vozz, motorista.

O Deinfra (Departamento Estadual de Infraestrutura) diz que oficialmente esse trecho da SC-370 está interditado. A rodovia liga a região serrana ao litoral catarinense, e é o caminho mais curto pra escoar a produção de hortaliças, frutas e leite, por isso muitos preferem correr o risco.

“Alguns obstáculos lá que são perigosos, não tem guard-rail, pra proteger pra não cair. Hoje tá bem abandonado”, disse Kleber Vieira, fruticultor. Ele falou ainda que essa é a principal rota para escoar a produção. “Essa aqui eu levo 55 quilômetros e a outra vou levar 190 quilômetros”, explicou.

O novo projeto para revitalização da rodovia tem prazo para ficar pronto no próximo mês. Para o início da obra, porém, não há previsão. Enquanto isso quem precisa continua na espera. “Faz tempo, faz muito tempo, muitos anos…. Não sei quando que vão terminar, mas decerto um dia nós passaremos direto na estrada boa”, disse o motorista Silvio Boing.

Com informações do site G1 SC

 



Veja Também
Na estreia, Peixe vai reencontrar Waguinho Dias
Evento une idosos de Pescaria Brava
Idosa deixa imóvel e precisa de apoio
Bebê agredida segue em estado grave

A bebê de dois meses que teria sido agredida pelo paicontinua na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital Nossa Senhora da Conceição (HNSC), em Tubarão. 

A menina de Capivari de Baixo passou por cirurgia e, até o fechamento desta edição, seu estado de saúde era considerado grave. O caso aconteceu na terça-feira e foi trazido com exclusividade pelo DS. 

A criança chegou à unidade junto com os pais. Após atendimento, os médicos atestaram que ela tinha afundamento de crânio e hematomas. A polícia e o conselho tutelar foram acionados, pois a desconfiança era que ela tivesse sido agredida. 

Com isso, os pais foram detidos. Após conversa com o delegado responsável pelo caso, Vandilson Moreira da Silva, o homem de 25 anos, pai da criança, foi acusado pela mãe de ser o responsável pelas agressões. Ele alegava que a criança não era filha biológica dele, pois o casal é negro e a criança, branca. 

O pai, suspeito de agredir a bebê, foi preso e segue recluso no Presídio Regional de Tubarão. Já a mãe, foi ouvida e liberada. Ela será investigada por omissão. À polícia, ela afirmou que era ameaçada e agredida pelo marido e que, por isso, não havia o denunciado antes. Esta seria a terceira vez que a bebê foi hospitalizada. Na primeira vez, estava com costelas quebradas. Nos casos anteriores, a família alegava acidentes domésticos.

A Polícia Civil ainda aguarda um laudo pericial para confirmar as agressões. O pai deve responder por maus-tratos e tentativa de homicídio. A polícia teve deferimento da Justiça para o pedido de prisão preventiva.