Figueirense empata com o Hercílio Luz e segue invicto
Matéria via DC / Postado dia 12-02-2018

O Figueirense sofreu, mas conseguiu manter a invencibilidade na atual temporada e seguir como o único ainda sem perder no Campeonato Catarinense 2018. Depois de sair perdendo, o Furacão chegou ao empate quando tinha um jogador a menos diante do Hercílio Luz, na tarde deste sábado de Carnaval, no Aníbal Costa, em Tubarão, pela sétima rodada. O placar de 1 a 1 pelo menos garante o Alvinegro na primeira colocação até a quarta-feira. 

O gol de André Luís, que chegou aos quatro gols no Estadual e figura na lista de artilheiros, o Figueirense chegou aos 17 pontos. O próximo confronto será justamente diante da vice-líder Chapecoense, quarta-feira, às 21h45min, no Orlando Scarpelli, pela oitava rodada. O Leão do Sul vai a oito pontos e fica fora da zona de rebaixamento. Também na quarta, às 20h30min, o Hercílio Luz visita o Concórdia, no Domingos Machado Lima, no Oeste.

Nos primeiros minutos de jogo, a zaga do Figueirense se preocupou em anular Lima, um dos artilheiros do Estadual com quatro gols, mas se esqueceu do outro atacante do Leão do Sul. E foi assim que o time da casa foi às redes logo aos quatro minutos. Tiago Pará se antecipou ao lateral Raul após bom levantamento pelo lado direito e testou com estilo, no canto esquerdo baixo, da meta de Denis para abrir o placar.

Em vantagem, o Hercílio Luz fez prevalecer o sistema defensivo montado pelo técnico Luiz Carlos Cruz. Com três volantes, o Leão do Sul fechou os espaços pelo meio. O Figueira buscou as jogadas pelas beiradas, mas criou pouco. O Furacão teve somente duas oportunidades de gol. Na primeira delas, Ferrareis soltou a pancada e o goleiro Martins espalmou para frente. Na outra, já nos acréscimos, Patrick ficou com a sobra e isolou pela linha de fundo.

Sentindo a falta de ofensividade, Milton Cruz voltou para o segundo tempo com Henan na vaga de Lazaroni, que já tinha cartão amarelo. Mas quem assustou pela primeira vez foi o time da casa. Marrone soltou a pancada logo aos dois minutos, e Denis impediu o gol. Com uma boa organização defensiva, o Hercílio Luz manteve o Figueirense mais longe da meta defendida por Martins até boa parte da etapa final.

E a situação do Figueira ficou mais complicada após Renan Mota ser expulso. O meia, que entrou na vaga de Patrick aos 14, fez duas faltas fortes e recebeu o cartão vermelho aos 30. Mesmo com um jogador a menos, Milton Cruz colocou Maikon Leite e foi para o tudo ou nada. No primeiro lance, o atacante fez o cruzamento para André Luís empatar aos 36. Em seguida, o Alvinegro quase virou com Trevisan, que cabeceou e mandou pela linha de fundo.

FICHA TÉCNICA

HERCÍLIO LUZ - 1
Martins; Lucas Costa, Rafael Cardoso, Sílvio Gomes e Breno Santos; Marrone (Wellington Batista), Jackson, Leandro Melo e Bruninho (Maurício Britto); Tiago Pará (Moisés) e Lima.
Técnico: Luis Carlos Cruz.

FIGUEIRENSE - 1
Denis; Raul, Cleberson, Trevisan e Lazaroni (Henan); Pereira, Patrick (Renan Mota), Betinho, Ferrareis e João Lucas (Maikon Leite); André Luís.
Técnico: Milton Cruz.

GOLS: Tiago Pará (H), aos quatro minutos do primeiro tempo. André Luís (F), aos 36 minutos do segundo tempo.
CARTÕES AMARELOS: 
Daniel, Bruninho e Maurício Britto (H). Lazaroni e Pereira (F).
CARTÃO VERMELHO: 
Renan Mota (F).
ARBITRAGEM:
 Ramon Abatti Abel, auxiliado por Diego Leonel Félix e Alexandre de Medeiros Lodetti.
LOCAL: Estádio Aníbal da Costa, em Tubarão (SC).

Veja a tabela completa do Estadual
Leia mais notícias sobre o 
Catarinense 2018



Veja Também
Mar Grosso: prefeitura acelera projetos para a obra
Doações múltiplas de órgãos: Tubarão ocupa sexto lugar no Estado

O Hospital Nossa Senhora da Conceição, de Tubarão, está em sexto lugar no Estado como o hospital que mais realizou doações múltiplas de órgãos. Está atrás apenas de Joinville, Blumenau, Jaraguá do Sul, Itajaí e Florianópolis. Foram 17 doações múltiplas no ano passado realizadas no HNSC.

Santa Catarina continua liderando o ranking no número de doações de órgãos para transplantes no país. O Estado consolidou um sistema de transplantes que é referência também internacional. Segundo levantamento da SC Transplantes, em outubro de 2017, Santa Catarina atingiu a marca de 39 doadores efetivos de órgãos por milhão de população, enquanto a média nacional foi de 16,5 doadores por milhão de população.

Até setembro de 2017, a SC Transplantes registrou 197 doações efetivas de órgão, 438 doações efetivas de tecido ocular e 938 transplantes de órgãos e tecidos em Santa Catarina.

De acordo com o médico coordenador da Comissão Intra-Hospitalar de Doação de Órgãos e Tecidos para Transplante do HNSC, Vilto Michels Júnior, a posição que o hospital ocupa no Estado mostra o empenho e o bom trabalho realizado na instituição. “A doação de órgãos passa por uma série de trâmites, que vai desde o momento da identificação do paciente em estado grave com chance de morte encefálica ao tratamento correto dado a ele quando se torna muito grave e com a morte encefálica comprovada, para que os órgãos sejam mantidos”, explica.

Além disso, Vilto explica que tem toda a parte de entrevista com os familiares, que é uma das fases mais importantes no que se refere à aceitação para a doação dos órgãos. “Para tudo isso,  temos uma equipe amplamente treinada pela Central de Transplantes de Florianópolis, o que acarreta no sucesso do trabalho”, pontua.

O médico, que também coordena o CTI (Centro de Tratamento Intensivo), diz que a parte que cabe ao HNSC é o de identificar e tratar o paciente e entrevistar a família. Tão logo o diagnóstico fique completo, a Central de Transplantes faz a captação dos órgãos. “Fígado, rins e córneas são os mais comuns. Coração e pulmão são mais raros”, comenta.


Treinamento especializado

Os investimentos em logística e em treinamentos das equipes dos hospitais, responsáveis pela identificação de potenciais doadores e pela abordagem junto às famílias, são os fatores determinantes para os resultados alcançados. Este ano, foram capacitados cerca de 800 profissionais de hospitais públicos e particulares.

Técnico do Leão do Sul acredita em melhora
Peixe faz jogo decisivo hoje no Paraná