Prefeitos tratam sobre usina de asfalto
Matéria via Diário do Sul / Postado dia 07-12-2017

Prefeitos e vices estiveram reunidos ontem no gabinete do secretário de Estado da Casa Civil, Nelson Serpa, para tratar da implantação da usina de asfalto. O diretor executivo da Amurel, Celso Heidemann, acompanhou a comitiva na audiência. 

O grupo, comandado pelo presidente da Amurel, prefeito de Tubarão Joares Ponticelli, expôs ao secretário o quanto é importante para a região a implantação de uma usina de asfalto que atenda aos 18 municípios associados. Entre os benefícios estão o aspecto da economia e a qualidade do material e a diminuição de tempo na execução das obras. “Também facilita para o próprio Estado”, defendeu o prefeito de Imbituba, Rosenvaldo Júnior.

Para se ter uma ideia, um metro quadrado de asfalto com quatro centímetros de espessura custa em torno de R$ 45. Segundo o prefeito de Braço do Norte, Beto Kuerten Marcelino, com o consórcio, um metro quadrado de asfalto com sete centímetros de espessura custará cerca de 
R$ 15. “Os municípios da Amurel só têm a ganhar com a aquisição da usina, que tem um investimento médio de R$ 4 milhões. Será um marco para a região, que se desenvolverá mais rapidamente, de forma mais eficiente e com menor custo”, ressalta.

A Amurel já criou o Consórcio Intermunicipal Multifinalitário, o que facilitará a implantação da usina. A intenção dos prefeitos é de que os recursos necessários para a implantação da usina venham do Fundo de Apoio aos Municípios – Fundam 2, prestes a ser liberado pelo Estado. Ele depende de ajustes finais junto ao BRDE, órgão responsável pela liberação dos recursos. 

“Não tenho dúvidas de que, através de um consórcio, o uso de recursos se torna mais eficiente. O Estado busca isso. Estamos finalizando questões legais do Fundam 2 junto ao BRDE e creio que a usina poderá, sim, ser incluída em uma  das três modalidades que o Fundam 2 terá”, disse o chefe da Casa Civil.



Veja Também
Arma é apreendida dentro de veículo após abordagem em festa
Karateca tubaronense disputa Sul-Americano

Ontem, Nícolas de Souza viajou mais uma vez para defender as cores do país em uma competição internacional. O jovem karateca disputa pelo terceiro ano consecutivo o Sul-Americano da modalidade com a Seleção Brasileira, e acumula ótimos desempenhos, além de experiências muito importantes.

Aos 12 anos, Nícolas garantiu a vaga com a idade mínima para fazer parte da seleção e ainda comemorou o título de campeão. Aos 13, mais uma vez representando o Brasil na competição, foi o vice-campeão de sua categoria. Agora, com 14, segue mais uma vez em busca do pódio.

“É com muito orgulho que tenho a honra de poder representar meu país em mais um evento internacional. Estou muito feliz, pois é o meu terceiro ano consecutivo na Seleção Brasileira. Treinei muito e estou preparado para fazer o meu melhor”, revela.

“Aproveito para agradecer o apoio e a torcida de todos que estão sempre comigo. Sem a participação de todos os envolvidos, isso não seria possível”, ressalta Nícolas.

O Sul-Americano ocorre de hoje até domingo, em Guayaquil, no Equador, e reúne atletas nas disputas das categorias Sub-14, Cadete, Júnior, Sub-21 e Sênior. “As expectativas para este campeonato são boas, porém disputo uma categoria diferente e pode ter sempre surpresas. No entanto, darei meu máximo para representar bem meu país em mais um campeonato deste nível”, finaliza Nícolas.

Mulher precisa de ajuda para tratamento de câncer

A dona de casa Mércia Carvalho, de Gravatal, está precisando de ajuda. Com câncer no fígado e sem condições financeiras para arcar com o tratamento, ela precisa da colaboração de todos para continuar vivendo. O marido, Genésio, precisou parar de trabalhar para ajudar a esposa em seu tratamento.

Uma rede de solidariedade se formou nas redes sociais para tentar minimizar a dor de Mércia e sua família. O marido está afastado do trabalho há 14 meses, em busca da cura para sua esposa, e para ajudá-la em tudo o que precisa, já que a doença está em um estágio avançado. 

Mércia precisa tomar vitaminas e medicamentos importados contra o câncer, e não possui condições financeiras. Amigos da família contam que ela já ficou dois meses sem tomar os medicamentos, por não ter como arcar com estes custos. 

Quem desejar ajudar, pode fazer um depósito de qualquer valor. Os dados para depósito são: Banco do Brasil, agência 2089-3, conta 14048-1, em nome de Genésio Carvalho. Para entrar em contato, o telefone de Genésio é (48) 99697-8562.

Cursos gratuitos levam cultura a Tubarão