Chapecoense vence o Santos e encaminha permanência na Série A
Matéria via DC / Postado dia 14-11-2017

A Série A de 2018 está mais próxima da Chapecoense após a vitória por 2 a 0 sobre o Santos, na noite desta segunda-feira, na Arena Condá. O time catarinense subiu para 44 pontos na tabela, ficou na 13ª colocação e abriu oito de vantagem do Sport, primeiro time na zona de rebaixamento. Restando quatro rodadas, é muito difícil o time pernambucano tirar essa diferença. Assim como é improvável que a Chape não some mais pontos.  

Depois de três empates, sendo dois em que deixou escapar a vitória no fim, contra Sport e Santos, a Chapecoense iniciou a partida disposta a buscar os três pontos. Para isso, contava com o apoio de um bom público na Arena Condá.

Tanto que logo no início o goleiro Vanderlei teve que sair nos pés de Arthur Caíke para evitar o gol. Aos 11 minutos, Luiz Antônio fez outro lançamento para o atacante e a bola tocou na mão de Lucas Veríssimo. Pênalti que Wellington Paulista converteu no minuto seguinte. Depois de um jejum de 26 jogos foi o sétimo gol dele no Brasileirão - cinco nas últimas seis partidas.

Mesmo com a vantagem, o time da casa seguiu pressionando. Tanto que a torcida começou a cantar: "Sou Chapecoense, com muito orgulho, com muito amor". Afinal, o resultado encaminhava mais um ano na Série A.

No final do primeiro tempo, o Santos até rondou a área da Chapecoense. Mas as únicas chances foram num chute de Arthur Gomes, que foi para fora, e numa recuada apertada em que Jandrei saiu do gol para evitar que Ricardo Oliveira roubasse a bola.

No segundo tempo, o Santos voltou pressionando, mas com poucas chances de gol. Arthur Gomes chutou para fora e Ricardo Oliveira cabeceou fraco em cobrança de escanteio. No contra-ataque, Wellington Paulista cruzou para Arthur Caíke ampliar, de cabeça. O gol trouxe um alívio para a torcida que já estava com receio de que o adversário novamente empatasse.

Túlio de Melo, que entrou no segundo tempo, só não fez o terceiro, de cabeça, pois Vanderlei fez boa defesa. No final da partida só deu Santos. Ricardo Oliveira tentou com a perna direita e Jandrei defendeu. Tentou de cabeça e a bola raspou na trave. Lucas Veríssimo também teve uma chance dentro da área, mas acabou chutando por cima.

Desta vez, a Chapecoense conseguiu segurar a vitória. E já são seis jogos sem derrota no campeonato, a maior sequência neste Brasileirão. Desde que chegou, Gilson Kleina está invicto, seja na arquibancada, seja à beira do campo.

Na próxima quinta-feira, o time catarinense enfrenta o Vitória, na Arena Condá, quando pode garantir matematicamente a permanência na elite nacional.

Ficha técnica

Chapecoense: Jandrei, Apodi, Douglas, Fabrício Bruno e Reinaldo; Moisés Ribeiro, Amaral, Canteros (Nenén) e Luiz Antônio (João Pedro); Wellington Paulista (Túlio de Melo) e Arthur Caike. Técnico: Gilson Kleina.
Santos: Vanderlei, Daniel Guedes, Lucas Veríssimo, Luiz Felipe e Victor Ferraz; Alison, Renato, Matheus Jesus (Serginho) e Lucas Lima (Jean Mota); Arthur Gomes e Ricardo Oliveira. Técnico: Elano.
Gols: Wellington Paulista (C, aos 12min/1ºt) e Arthur Caíke (C, aos 21min/2ºt)
Cartões amarelos: Lucas Veríssimo, Luiz Felipe, Serginho (S)
Arbitragem: Jaílson Macedo Freitas, auxiliado por Alessandro Rocha de Matos e Jucimar dos Santos Dias.
Local: Arena Condá, em Chapecó (SC)
Público: 11.301
Renda:
R$ 272.030

Leia outras informações sobre a Chapecoense
Acesse a tabela da
Série A do Brasileirão



Veja Também
Na estreia, Peixe vai reencontrar Waguinho Dias
Evento une idosos de Pescaria Brava
Idosa deixa imóvel e precisa de apoio
Bebê agredida segue em estado grave

A bebê de dois meses que teria sido agredida pelo paicontinua na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital Nossa Senhora da Conceição (HNSC), em Tubarão. 

A menina de Capivari de Baixo passou por cirurgia e, até o fechamento desta edição, seu estado de saúde era considerado grave. O caso aconteceu na terça-feira e foi trazido com exclusividade pelo DS. 

A criança chegou à unidade junto com os pais. Após atendimento, os médicos atestaram que ela tinha afundamento de crânio e hematomas. A polícia e o conselho tutelar foram acionados, pois a desconfiança era que ela tivesse sido agredida. 

Com isso, os pais foram detidos. Após conversa com o delegado responsável pelo caso, Vandilson Moreira da Silva, o homem de 25 anos, pai da criança, foi acusado pela mãe de ser o responsável pelas agressões. Ele alegava que a criança não era filha biológica dele, pois o casal é negro e a criança, branca. 

O pai, suspeito de agredir a bebê, foi preso e segue recluso no Presídio Regional de Tubarão. Já a mãe, foi ouvida e liberada. Ela será investigada por omissão. À polícia, ela afirmou que era ameaçada e agredida pelo marido e que, por isso, não havia o denunciado antes. Esta seria a terceira vez que a bebê foi hospitalizada. Na primeira vez, estava com costelas quebradas. Nos casos anteriores, a família alegava acidentes domésticos.

A Polícia Civil ainda aguarda um laudo pericial para confirmar as agressões. O pai deve responder por maus-tratos e tentativa de homicídio. A polícia teve deferimento da Justiça para o pedido de prisão preventiva.