Na última rodada, Seleção vence o Chile em casa
Matéria via CBF / Postado dia 11-10-2017

Com grande campanha, a Seleção Brasileira se despediu das Eliminatórias para a Copa do Mundo de 2018 nesta terça (10) em grande estilo. No Allianz Parque, o time comandado por Tite venceu o Chile por 3 a 0, com gols de Paulinho e Gabriel Jesus (duas vezes). Na busca pelo hexacampeonato mundial, a Canarinho confirma a eficiência no trabalho que a garantiu na Rússia no ano que vem.

O Brasil encerra a competição isolado na liderança, com 41 pontos em 18 jogos. Além disso, terminou como o time que mais venceu (12 vezes), o que menos perdeu (apenas uma derrota), o de melhor ataque (40 gols a favor) e o que possui a melhor defesa (apenas 11 gols sofridos).

O jogo

Pressionando a saída de bola, o Brasil deu trabalho ao Chile no primeiro tempo. A primeira boa chance foi aos seis minutos, quando Gabriel Jesus ficou com rebote e rolou para Renato Augusto finalizar perto do ângulo esquerdo do goleiro Claudio Bravo. Depois, aos 16, o camisa 9 entregou na medida para Neymar, que bateu de esquerda e viu o goleiro chileno defender com as pernas. Aos 30, o camisa 10 chegou perto novamente. Após dominar a bola na intermediária, Neymar soltou uma pancada de perna direita, que passou com perigo por cima do gol chileno. A Seleção seguiu dominando as ações e quase abriu o placar aos 38, quando Jesus apareceu nas costas da marcação e cabeceou em cima de Bravo.

No segundo tempo, o Brasil não mudou o ritmo da etapa inicial. Logo aos seis minutos, Neymar cobrou falta direto para o gol e viu Bravo fazer a defesa. Assim, não demorou para a Canarinho balançar as redes. Aos nove minutos, Daniel Alves cobrou falta de longe, Bravo defendeu e deu rebote. Em cima do lance, Paulinho não desperdiçou a oportunidade de pegar a sobra e fazer 1 a 0. Na sequência, após contra-ataque rápido, Philippe Coutinho lançou Neymar no ataque, que dominou e rolou par Gabriel Jesus completar: 2 a 0. A Seleção ainda teve outras boas chances de ampliar, como na cobrança de falta de Neymar, aos 23, que tirou tinta do travessão. Trocando passes e insistindo no ataque, o Brasil administrou o resultado positivo e ainda marcou mais um nos acréscimos. Aos 48, todo o time do Chile foi para a área para cobrança de escanteio e, na sequência, Willian ficou com o rebote e chutou para frente. Com Bravo em seu alcance, Gabriel Jesus avançou e marcou o terceiro para fechar a conta em São Paulo: 3 a 0. O Brasil se despediu das Eliminatórias com festa diante da torcida brasileira.

Brasil: Ederson, Daniel Alves, Marquinhos, Miranda e Alex Sandro; Casemiro; Paulinho, Renato Augusto (Fernandinho), Philippe Coutinho (Roberto Firmino) e Neymar (Willian); Gabriel Jesus.



Veja Também
Mar Grosso: prefeitura acelera projetos para a obra
Doações múltiplas de órgãos: Tubarão ocupa sexto lugar no Estado

O Hospital Nossa Senhora da Conceição, de Tubarão, está em sexto lugar no Estado como o hospital que mais realizou doações múltiplas de órgãos. Está atrás apenas de Joinville, Blumenau, Jaraguá do Sul, Itajaí e Florianópolis. Foram 17 doações múltiplas no ano passado realizadas no HNSC.

Santa Catarina continua liderando o ranking no número de doações de órgãos para transplantes no país. O Estado consolidou um sistema de transplantes que é referência também internacional. Segundo levantamento da SC Transplantes, em outubro de 2017, Santa Catarina atingiu a marca de 39 doadores efetivos de órgãos por milhão de população, enquanto a média nacional foi de 16,5 doadores por milhão de população.

Até setembro de 2017, a SC Transplantes registrou 197 doações efetivas de órgão, 438 doações efetivas de tecido ocular e 938 transplantes de órgãos e tecidos em Santa Catarina.

De acordo com o médico coordenador da Comissão Intra-Hospitalar de Doação de Órgãos e Tecidos para Transplante do HNSC, Vilto Michels Júnior, a posição que o hospital ocupa no Estado mostra o empenho e o bom trabalho realizado na instituição. “A doação de órgãos passa por uma série de trâmites, que vai desde o momento da identificação do paciente em estado grave com chance de morte encefálica ao tratamento correto dado a ele quando se torna muito grave e com a morte encefálica comprovada, para que os órgãos sejam mantidos”, explica.

Além disso, Vilto explica que tem toda a parte de entrevista com os familiares, que é uma das fases mais importantes no que se refere à aceitação para a doação dos órgãos. “Para tudo isso,  temos uma equipe amplamente treinada pela Central de Transplantes de Florianópolis, o que acarreta no sucesso do trabalho”, pontua.

O médico, que também coordena o CTI (Centro de Tratamento Intensivo), diz que a parte que cabe ao HNSC é o de identificar e tratar o paciente e entrevistar a família. Tão logo o diagnóstico fique completo, a Central de Transplantes faz a captação dos órgãos. “Fígado, rins e córneas são os mais comuns. Coração e pulmão são mais raros”, comenta.


Treinamento especializado

Os investimentos em logística e em treinamentos das equipes dos hospitais, responsáveis pela identificação de potenciais doadores e pela abordagem junto às famílias, são os fatores determinantes para os resultados alcançados. Este ano, foram capacitados cerca de 800 profissionais de hospitais públicos e particulares.

Técnico do Leão do Sul acredita em melhora
Peixe faz jogo decisivo hoje no Paraná