Missa marca 70 anos do Colégio Dehon
Matéria via Diário do Sul / Postado dia 12-08-2017

O Colégio Dehon completa 70 anos em 2017 e, às 19h deste sábado, haverá missa de ação de graças na Catedral de Tubarão para celebrar o aniversário. Com mais de 2 mil alunos matriculados, o colégio de Tubarão é considerado um dos maiores do Estado.

Nascido com nome de Ginásio Sagrado Coração de Jesus, as primeiras aulas aconteceram no dia 1º de março de 1947, mesmo em meio às obras. A demanda pelo 2º Ciclo de Estudos (atual ensino médio) fez com que fosse incluído em 1957, alterando o nome para Colégio Dehon, homenagem ao fundador da Congregação dos Padres Sagrado Coração de Jesus, padre Leão João Dehon.

Em 1971, a Fundação Educacional do Sul de Santa Catarina (Fessc), atual Unisul, adquiriu o patrimônio do colégio e passou a primar também pela educação básica. No mesmo ano, criaram-se os cursos de técnico em Química e técnico em Estatística. Em 1974, pelo fatídico da enchente, o Colégio Dehon cedeu espaço físico para uma escola particular que atendia do pré-escolar até a 4ª série - até então o Dehon oferecia do 5º ano até o 2º grau. Em 1976, a escola particular foi incorporada e o Dehon inaugurou nova ala abrigando o ensino infantil e fundamental. Em 1979, formando parceria com outras instituições, adota apostilas de pré-vestibular.

Hoje, o Dehon oferece desde a educação infantil até o pré-vestibular. O ensino infantil tem funcionamento em horário integral, onde as crianças participam de diversas atividades o dia inteiro. No ensino médio, além dos Terapeutas da Alegria, há projetos relacionados à arte, à culinária, à música, à dança, ao esporte, intercâmbios, viagens, entre outros.

Apesar do cenário de crise, nos últimos cinco anos o Colégio Dehon ampliou de 1 mil alunos matriculados para 2 mil, sendo considerado, inclusive, como um dos maiores colégios do Estado de Santa Catarina.


Sonho e realização

Maria Nilceia Juncklaus Preis foi orientadora educacional, professora e coordenadora pedagógica no período de 1985 até 1992. “Neste ambiente de constante efervescência, as sementes são lançadas diariamente e germinam com a vitalidade dos que sabem construir as bases de um cidadão ético”, enfatiza Nilceia, que atualmente faz trabalhos voluntários em instituições que se dedicam ao próximo e produz artesanatos.

O diretor do Colégio Dehon, professor José Antônio Matiolla, acredita que os idealizadores desta ideia de sucesso não faziam ideia até onde o sonho alcançaria. “Fazer parte destes 70 anos é olhar para trás com gratidão por todos aqueles que apostaram sendo professores, funcionários, alunos, sendo pais da comunidade Dehon”, conclui Matiolla.



Veja Também
Certidões de nascimento, casamento e óbito mudam a partir de hoje
Laguna: hospital passa por dificuldade financeira
Semana deve ser de tempo bom

Com sol e temperatura um pouco mais quente, a semana começou marcando 12ºC. Conforme a Epagri/Ciram, a semana também deve ser de tempo bom. 

Em geral, as máximas devem sempre se aproximar dos 30ºC, com exceção de quarta-feira, quando uma frente fria, que vai passar pela região, deve baixar um pouco a temperatura. Nesta semana deve chover apenas na tarde de terça-feira e na quarta-feira pela manhã.

Na praia, o mar é calmo nesta segunda e terça-feira, e começa a ficar agitado a partir de quarta-feira, devido ao vento sul. Importante ressaltar que, em uma previsão alongada, há boas notícias em relação à chuva. Até o dia 5 de dezembro haverá chuvas mais frequentes. Vai predominar o tempo bom, mas com pouco espaço entre os dias de chuva, o que é essencial pra manter o solo irrigado, principalmente para a agricultura.

Na região, o dia hoje deve ser de sol com muitas nuvens e termômetros variando entre 20ºC e 26ºC. Amanhã, pode ocorrer chuva, melhorando no decorrer do dia. A máxima será de 25ºC, e a mínima, de 18ºC. Na quinta-feira, o sol reaparece, com temperatura variando entre 17ºC e 26ºC.

As temperaturas também serão boas na sexta-feira, de acordo com a previsão, podendo chegar a 27ºC. A mínima neste dia deve ser de 19ºC, com sol entre algumas nuvens.

Falta recursos para evitar novos deslizamentos na Serra