Moradores pedem dragagem em Jaguaruna
Matéria via Diário do Sul / Atualizado dia 19-06-2017

Moradores, visitantes, pescadores e representantes do poder público protestaram, nesse fim de semana, pedindo urgência na obra de dragagem da Barra do Camacho, que hoje não está sendo executada.

De acordo com o secretário municipal de Esportes e Turismo, José Moacir de Almeida, o Kiko, a comunidade está preocupada com a situação no local.

“O canal está fechando e é possível perceber que está muito raso. Se acontecer uma enchente, pode prejudicar muito a cidade e os moradores”, alerta.

Para pedir medidas em relação ao problema, o grupo protestou no sábado, com faixas e cartazes pedindo atenção. “Isso é algo que afeta a cidade toda, os pescadores, até mesmo o turismo, pois muitos visitantes vão conhecer o local. Além do risco de cheia, que já apontamos”, destaca.

Kiko aponta que não tem informações de como está o andamento para a solicitação de dragagem no local. “Há uma obra de desassoreamento prevista, mas não sabemos para quando e hoje está parada”, aponta.

A Barra do Camacho fica em Jaguaruna e recebe as águas da bacia do rio Congonhas. Estudos apontam que a barra sofre constantes ações do tempo, do clima e de fenômenos naturais, além das marés e do volume de águas do rio Tubarão.

Para que o local possa realmente cumprir com sua função, é preciso que o desassoreamento seja efetuado. A barra é o único caminho de saída do rio Congonhas, com papel fundamental para o escoamento das águas do rio Tubarão.

Em 2012, 64.625 metros cúbicos de areia foram retirados da Lagoa do Camacho, em Jaguaruna. O processo de dragagem é necessário para manter a entrada de água do mar e possibilitar a passagem de peixes e crustáceos. A draga estava no local desde 2011, e foi retirada para passar por manutenção.



Veja Também
Arma é apreendida dentro de veículo após abordagem em festa
Karateca tubaronense disputa Sul-Americano

Ontem, Nícolas de Souza viajou mais uma vez para defender as cores do país em uma competição internacional. O jovem karateca disputa pelo terceiro ano consecutivo o Sul-Americano da modalidade com a Seleção Brasileira, e acumula ótimos desempenhos, além de experiências muito importantes.

Aos 12 anos, Nícolas garantiu a vaga com a idade mínima para fazer parte da seleção e ainda comemorou o título de campeão. Aos 13, mais uma vez representando o Brasil na competição, foi o vice-campeão de sua categoria. Agora, com 14, segue mais uma vez em busca do pódio.

“É com muito orgulho que tenho a honra de poder representar meu país em mais um evento internacional. Estou muito feliz, pois é o meu terceiro ano consecutivo na Seleção Brasileira. Treinei muito e estou preparado para fazer o meu melhor”, revela.

“Aproveito para agradecer o apoio e a torcida de todos que estão sempre comigo. Sem a participação de todos os envolvidos, isso não seria possível”, ressalta Nícolas.

O Sul-Americano ocorre de hoje até domingo, em Guayaquil, no Equador, e reúne atletas nas disputas das categorias Sub-14, Cadete, Júnior, Sub-21 e Sênior. “As expectativas para este campeonato são boas, porém disputo uma categoria diferente e pode ter sempre surpresas. No entanto, darei meu máximo para representar bem meu país em mais um campeonato deste nível”, finaliza Nícolas.

Mulher precisa de ajuda para tratamento de câncer

A dona de casa Mércia Carvalho, de Gravatal, está precisando de ajuda. Com câncer no fígado e sem condições financeiras para arcar com o tratamento, ela precisa da colaboração de todos para continuar vivendo. O marido, Genésio, precisou parar de trabalhar para ajudar a esposa em seu tratamento.

Uma rede de solidariedade se formou nas redes sociais para tentar minimizar a dor de Mércia e sua família. O marido está afastado do trabalho há 14 meses, em busca da cura para sua esposa, e para ajudá-la em tudo o que precisa, já que a doença está em um estágio avançado. 

Mércia precisa tomar vitaminas e medicamentos importados contra o câncer, e não possui condições financeiras. Amigos da família contam que ela já ficou dois meses sem tomar os medicamentos, por não ter como arcar com estes custos. 

Quem desejar ajudar, pode fazer um depósito de qualquer valor. Os dados para depósito são: Banco do Brasil, agência 2089-3, conta 14048-1, em nome de Genésio Carvalho. Para entrar em contato, o telefone de Genésio é (48) 99697-8562.

Cursos gratuitos levam cultura a Tubarão