Latrocínio tira vida de homem de 58 anos
Matéria via Diário do Sul / Postado dia 20-04-2017

Jucemir Alcilei May, de 58 anos, morto na noite de terça-feira em Tubarão, foi sepultado ontem em Armazém. De acordo com a Polícia Militar (PM) ele foi vítima de um latrocínio (roubo seguido de morte). O crime aconteceu no bairro Humaitá, após uma briga. A vítima foi encontrada já caída na calçada. Ele chegou a ser atendido pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), mas não resistiu aos ferimentos.

Momentos depois, a polícia prendeu o suspeito do crime. Ele estava escondido no interior de um prédio em construção, deitado em um colchão. O homem, de 29 anos, apresentava machucados como arranhões e escoriações no pescoço e ombros, além de sangue nas mãos, o que indicava uma luta corporal recente.

Trata-se de um latrocínio, uma vez que testemunhas viram o agressor pegar algo do bolso da vítima. Os policiais encontraram com o suspeito R$ 200, que estavam ao lado do colchão onde ele estava deitado.

O jovem acusado, segundo a polícia, negou o crime. Ele tem passagens pela polícia por perturbação de sossego. Após os procedimentos do caso, ele foi encaminhado ao Presídio Regional de Tubarão.



Veja Também
JEC aguarda instalação de geradores na Arena para enfrentar o Tupi esta noite
Criciúma recebe hoje o América-MG com meta de somar os primeiros pontos
Tubarão Futsal enfrenta o Foz Cataratas hoje à noite
Assaltante procurado é preso em Tubarão

Um dos assaltantes mais procurados de Tubarão foi preso ontem à tarde, pela Polícia Civil, por meio da Divisão de Combate a Furtos e Roubos.

O jovem, de 18 anos, é acusado de ser um dos envolvidos no assalto a uma marcenaria no bairro São Martinho. O crime foi praticado no último dia 5 de maio por quatro pessoas, que levaram do local cerca de R$ 40 mil.

A operação foi deflagrada na manhã de ontem para cumprir mandado de prisão preventiva. De acordo com os policiais, ele é um dos assaltantes mais procurados da Cidade Azul e possui inúmeras passagens por roubo, porte de arma e homicídios.

No assalto à marcenaria, o quarteto efetuou disparos contra funcionários e o proprietário do estabelecimento e o fato foi registrado como latrocínio tentado.

De acordo com o delegado André Crisóstomo, as investigações foram encerradas e os quatro autores do crime já foram identificados. Dois deles já foram capturados e a polícia permanece em busca dos outros dois assaltantes.