Pingo pede demissão e deixa o Tubarão
Diário Catarinense / Atualizado dia 19-03-2020

Pingo não é mais treinador do Tubarão. Ele informou à diretoria do Peixe sobre o pedido de demissão e deixa o clube antes da definição do mata-mata do rebaixamento no Campeonato Catarinense diante do Concórdia, mas ainda sem data para ocorrer por conta da suspensão do estadual em decorrência da pandemia do novo coronavírus.

– (A situação era) Insustentável. Consegui até um certo ponto fazer com que os atletas esquecessem os problemas, mas há um desgaste muito grande com a diretoria. Penso que uma mudança possa ser bom para o clube, com a minha saída, a vinda de um treinador com um novo estilo, mas claro, desde que os compromissos sejam honrados – disse o treinador.

Contratado no fim de junho do ano passado para substituir Luizinho Vieira, Pingo tinha vínculo com o Peixe até o término do Catarinense. O treinador ainda comandou o Tubarão na Copa Santa Catarina do ano passado e deixa o cargo com 43% de aproveitamento, com apenas uma vitória no estadual. A grave crise financeira do clube, porém, causou o rompimento antecipado entre as partes.

 

– Não me pagaram 70% do salário de dezembro, além de janeiro e fevereiro. A diretoria segue sem dar respostas sobre quando vai honrar os compromissos– completou Pingo.

 

No currículo como treinador, Pingo tem como principal conquista a Copa Santa Catarina de 2018 à frente do Brusque. Além do Peixe e do Quadricolor, ele também já treinou times como Caxias, Avaí, Joinville e outros.



Veja Também
Estado deve liberar mais serviços na segunda-feira
Prefeito recebe manifesto com sugestões para retomada gradual do setor produtivo
Aulas na rede municipal estão suspensas por mais 15 dias

Pingo não é mais treinador do Tubarão. Ele informou à diretoria do Peixe sobre o pedido de demissão e deixa o clube antes da definição do mata-mata do reb

leia mais ...