Museu ao Ar Livre, em Orleans, pode ser tombado
Matéria via DS / Postado dia 11-06-2019

O Museu ao Ar Livre de Orleans poderá se tornar patrimônio cultural do Brasil nos próximos dias. O Conselho Consultivo do Patrimônio Cultural se reunirá amanhã, na sede do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), em Brasília, para apreciar o tombamento do museu. 

Criado para ser a memória viva da imigração e da colonização da região, o Museu ao Ar Livre Princesa Isabel, em Orleans, preserva, de maneira viva e dinâmica, as técnicas e métodos de trabalho dos colonos chegados entre meados do século 19 e início do século 20.

Além de ser um espaço que dá visibilidade à contribuição do imigrante europeu para a cultura nacional e o desenvolvimento da região, o acervo do Museu ao Ar Livre Princesa Isabel representa um momento pré-industrial da história da tecnologia no Brasil, onde conviviam o uso de máquinas e o artesanato. 

“Assim, trata-se de um pedido de tombamento relacionado diretamente à atuação do Iphan no campo do patrimônio industrial e da industrialização do Brasil, valorizando o aspecto cultural do universo do trabalho. Caso aprovada pelo Conselho Consultivo, a proteção federal ao museu valoriza a presença do elemento da imigração europeia na formação do país, contribuindo para a diversidade de etnias e elementos que formam o rico patrimônio cultural brasileiro”, diz o Iphan.

Segundo o prefeito de Orleans, Jorge Koch, “o tombamento seria de muita importância para a manutenção deste, que é o maior museu ao ar livre da América Latina”, diz.

 

Desenvolvimento das cidades históricas

Uma vasta lista de edificações, conjuntos urbanos, manifestações, bens arqueológicos e ferroviários reconhecidos como referências culturais. Apesar de ser a menor região brasileira em extensão territorial, o Sul oferece esse inventário plural de bens culturais que será divulgado, valorizado, promovido e debatido coletivamente entre o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) e seus parceiros neste ano. No início do ano, foi lançada a campanha “Patrimônio Cultural do Sul: Turismo Cultural como ativo para o desenvolvimento das cidades históricas”. “O conjunto de bens e manifestações culturais protegidos em todo o Brasil possui grande potencial turístico, que, objetivamente trabalhado e qualificado, pode despertar, em cada cidadão, o desejo de explorá-lo e a responsabilidade de preservá-lo. É com esse olhar que o Iphan, mais uma vez, tem o futuro como meta e, em 2019, busca atuar também com uma forte parceria com o Ministério do Turismo, visando implementar ações que incentivam o turismo cultural”, afirma o instituto.



Veja Também
Prazo para sacar o PIS/Pasep termina amanhã; veja quem tem direito
Sorteio de hoje da Mega-Sena pode pagar prêmio de R$ 6,2 milhões
Desconto sobre débitos atrasados de IPVA e ICMS termina na sexta
Polícia prende homem por pornografia